Skip to Content

Crianças com necessidades especiais, o que o Guia do Hospital Infantil de Cincinnati recomenda (EUA)?

Crianças com necessidades especiais, o que o Guia do Hospital Infantil de Cincinnati recomenda (EUA)?

14/01/2016

Tudo o que se possa escrever ou falar sobre a segurança das crianças é pouco tendo em conta que são as pessoas mais vulneráveis dentro do veículo. Na Fundación MAPFRE temos muita consciência sobre a importância de explicar aos pais e tutores a necessidade de os menores viajarem de carro com a maior proteção. 

Nesta ocasião fazemos eco do guia do hospital infantil de Cincinnati no Ohio, Estados Unidos (hiperligação), no qual se dá especial atenção às crianças com necessidades especiais. E é, com grande pesar nosso, que os assentos convencionais para o carro não cobrem as necessidades destas crianças. Esta organização é das poucas que promovem o desenvolvimento de guias apenas pediátricos e se converteram em recursos de referência.

Já fomos contando os diferentes sistemas disponíveis no mercado para que crianças com necessidades especiais viajem de carro protegidas e o mais cómodas possível. Mas, também, é importante seguir uma série de recomendações: 

  • Nunca se deve modificar a conceção de um assento infantil de segurança nem desviar-se do uso indicado no seu manual de instruções – a não ser que se tenha submetido a provas de choque e esteja homologado para esse uso especial. 
  • Os assentos que dão maior apoio e proteção ao tronco são os que dispõem de arnês interno de cinco pontos
  • Uma solução para evitar que a cabeça do bebé caia para a frente é inclinar o apoio da cadeira até formar um ângulo de 45º face à vertical, mas só se for permitido pelo fabricante do assento e estiver refletido nas instruções. Para crianças de mais de 9 quilos com pouco controlo da sua cabeça, pode utilizar-se um assento convertível orientado para a frente que permita reclinar o apoio. 
  • Para melhorar o apoio postural lateral do corpo e a cabeça podem utilizar-se toalhas ou mantas enroladas. Também podem colocar-se entre a fita do arnês situado entre as pernas da criança e do seu corpo, para evitar que este deslize para baixo na sua cadeira; ou, inclusivamente, debaixo dos joelhos para elevar as pernas. 
  • Nunca utilize fitas e outros elementos – de modo independente do resto do corpo - para fixar a cabeça da criança. 
  • Se junto à criança tiver que se colocar um equipamento médico – monitores, garrafas de oxigénio, máquinas de sucção, muletas, cadeiras de rodas ou ventiladores -, este deverá ir bem fixo e segurado no veículo. E, para isso, nunca utilize o mesmo cinto de segurança que estiver fixo à cadeira da criança. Tenha em conta que a duração das baterias desses equipamentos médicos deve ser superior ao dobro da duração estimada da viagem.

Crianças ativas, o que o guia recomenda?

O guia infantil do hospital de Cincinnati recomenda realizar paragens frequentes para descansar e nunca soltar a criança da sua cadeira durante as deslocações. Se a criança precisar de um descanso é preciso realizar uma paragem assim que for seguro. 

Também é importante não premiar os comportamentos como gritar ou suplicar com exceções ao anterior.

14/01/2016

Back to top