Skip to Content

Por que as 'invenções caseiras' podem ser perigosas para transportar as crianças com necessidades especiais?

¿Por qué los 'inventos caseros' pueden ser peligrosos para transportar a niños con necesidades especiales?

19/02/2018

Todas as crianças, sem exceção, têm direito a viajar em condições ótimas de segurança. Isto quer dizer, que todas as crianças têm direito a utilizar um sistema de retenção infantil apropriado a sua altura e peso e, sobretudo, adequado a suas características.  É que nem todas as crianças apresentam as mesmas necessidades. Há crianças que nascem com uma série de necessidades especiais e outros que as adquirem ao longo de sua vida. No entanto, todos devem viajar de forma segura. 

Isto leva muitos pais a inventarem formas para que seus filhos possam ir no carro da melhor forma possível. Em muitos casos já não falamos só de segurança mas também de ergonomia. Crianças que devem viajar o mais ereto possível, que precisam de acolchoamento especial ou que apresentam problemas respiratórios… Todos eles são crianças com necessidades especiais que requerem de sistemas de retenção infantil especiais e que devem adaptar-se as suas necessidades. Oferecemos recomendações para viajar de forma segura em nossa secção ‘Crianças com necessidades especiais’. 

Lamentavelmente, geralmente, não há empresas fabricando este tipo de sistemas de retenção infantil adaptados por não serem economicamente viável, isto é, sua criação requer de um grande investimento e de elevados custos. Isto também implica que seu preço final seja muito elevado, algo que muitas famílias não conseguem comprar. Isto deve ser somado as escassas ajudas económicas para adquirir este tipo de cadeirinhas para carro. 

Por isso, os pais “criam” formas para que seus filhos possam viajar de carro. No entanto, falamos de adaptações que são feitas nas cadeirinhas e que podem comprometer a segurança da criança e que não estão devidamente homologadas. Criam-se berços artesanais sem a devida fixação, inclusive chegaram-se a realizar adaptações com pranchas de surf, tal e como tem relatado Miguel Rodríguez Molina, Fisioterapeuta da Associação Ossos de Vidro (AHUCE) com o motivo do ‘Dia Internacional ‘Crianças com Necessidades Especiais e sua Segurança nos Trajetos’, realizada pela Fundación MAPFRE para abordar este problema. 

Devemos ter em mente que um fabricante só garante a segurança do SRI se não foram realizadas nenhuma modificação, já que isto pode afetar a seu funcionamento em caso de acidente. Por este motivo, o Dia Internacional concluiu que este problema só pode ser abordado pelo ponto de vista multidisciplinar, já que não há soluções técnicas específicas nem um regulamento concreto de como devem viajar.

É que além de garantir a segurança, há que proporcionar dignidade nos trajetos de carro, sobretudo nos casos mais severos. 

Conscientes deste problema, cada vez mais são os que se preocupam com estas crianças. Assim, por exemplo, Bébé Confort conta com Opal, um sistema de retenção infantil específico para crianças que têm displasia de quadril. Mesmo não estando à venda, o fabricante oferece a opção da alugar através de seu serviço de Atenção ao Cliente enquanto a criança esteja recebendo tratamento.

A Fundación MAPFRE , com o projeto da Safedesign e a colaboração da  Associação Nacional de Ossos de Vidro da Espanha (AHUCE) e a Federação Espanhola de Doenças Raras (FEDER), também está trabalhando em uma cadeirinha de carro específica para crianças com osteogénese imperfeita ou mais conhecida como a doença dos ossos de vidro. Com o nome de ‘Gemini’, a cadeirinha foi projetada para os Grupos 1 e 2. Conta com laterais dobráveis para que se possa colocar a criança de maneira plana sem lhes ocasionar lesões e dispõe de um arnês de 3 pontos com retractor de emergência para fixar adequadamente a criança. 

O SRI é colocado em um ângulo de 45 graus já que é menos perigoso para a tensão do pescoço e é considerado um ângulo de conforto. Igualmente conta com espuma memory form para que possa se adaptar às características específicas da cada criança. 

Atualmente o protótipo encontra-se em fase de otimização económica a fim de que um fabricante, também apelando para sua responsabilidade social, o ponha a disposição das famílias.

Objetivo Zero
Back to top