Skip to Content

Crianças com problemas de visão e viagem de carro, que conselhos podemos seguir?

Niños con problemas de visión y el viaje en coche, ¿qué consejos podemos seguir?

28/04/2017

No mundo há aproximadamente 285 milhões de pessoas com deficiência visual, das quais 39 milhões são cegas e 346 milhões apresentam baixa visão, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).  De todos eles, 19 milhões de pessoas com deficiência visual são crianças. A viagem de carro pode ser uma tarefa complicada num primeiro momento, sobretudo se falamos de uma deficiência visual ou cegueira repentina. 

A OMS indica que 12 milhões de crianças padecem de deficiência visual por erros de refração, facilmente diagnosticados e corrigidos. No entanto, assinala que 1,4 milhões das crianças de 15 anos sofrem cegueira irreversível e precisam intervenções de reabilitação visual para seu pleno desenvolvimento psicológico e pessoal.

É precisamente nas primeiras viagens de carro quando se devem pôr em prática uma série de recomendações para que a viagem seja bem mais amena para a criança e esta acostume viajar.Relativo ao uso de sistemas de retenção infantil, ‘os sistemas de segurança devem ser exatamente os mesmos que para o resto das crianças’, tal e como indicam a ONCE.  

Devemos ter em conta que o papel da sociedade é sumamente importante para que a criança se sinta integrada. O objetivo é que a criança possa fazer as mesmas coisas que o resto das crianças, só que de um modo diferente. Por isso, nas idades mais avançadas se deve incentivar que possa subir no carro sozinho, se colocar na cadeirinha, fixar o cinto…

Entre as causas da cegueira ou da deficiência visual severa encontramos doenças de origem hereditária (cataratas congénitas, miopia degenerativa…), doenças de origem congénita (atrofia do nervo óptico, perda da agudeza visual, rubéola durante a gravidez), transtornos de origem traumático e/ou produzidos por tumores, vírus ou tóxicos.

CONSELHOS PARA VIAJAR DE CARRO

  • Durante os primeiros meses de vida e até que atinja certa idade e autonomia, é recomendável que viaje com uma pessoa adulta que lhe possa fazer companhia e ajudar em caso de ser necessário.
  • As crianças com problemas de visão precisam identificar onde se encontram antes de subir e entrarem nos veículos. Tal e como tratado no trabalho ‘As crianças com necessidades especiais e sua segurança no automóvel’, realizado pela Fundación MAPFRE, se um adulto indica para a criança onde se encontra em relação ao veículo, a criança poderá subir ao mesmo sem ajuda adicional. É importante que o carro fique no mesmo lugar sempre que a criança se baixe ou suba no mesmo, seja em casa, na creche, na escola ou em qualquer outro lugar.  
    Costumam-se usar como referência para saber onde se encontram objetos cotidianos como cercas, caixas de correio ou lixeiras. Uma vez localizados num meio familiar, as crianças podem normalmente deslocar-se com facilidade, o que incrementa tanto sua segurança como sua independência.
  • É importante que a criança conheça seu sistema de retenção infantil. Se já tiver idade suficiente, explique para que ela mesmo coloque a cadeirinha. Verifique posteriormente se o fez corretamente.
    O desenvolvimento do tato e do ouvido é importante. Tenta dar-lhe conversa, especialmente nas viagens longas.  
  • A luz do sol pode incomodar com facilidade algumas crianças com problemas de visão. Umas cortinas sobre as janelas ou uma viseira para a criança podem ser suficientes.
  • Recomenda-se que o condutor vá comentando a rota ou o que sucede. Se a criança utiliza um transporte especial, é igualmente importante que o condutor proporcione informação sobre a rota que se está a seguir e, se tiver alguém mais no veículo sentado junto a criança é importante oferecer outros detalhes da viagem, esta também será mais segura e ameno para a criança.


Ayúdanos a conseguirlo

Back to top