Skip to Content

Conselhos para viajar com crianças com escoliose

Conselhos para viajar com crianças com escoliose

04/11/2016

Seja desde o nascimento, por má postura ou por excesso de carga (mochilas), a escoliose é muito comum em menores de idade. Como nossos filhos devem viajar no carro se eles têm escoliose?  Devo ter algum cuidado especial na hora de colocá-los na cadeirinha? Nós respondemos todas as dúvidas.

Como nos indica a Doutora Inmaculada Bodegas Canora, Pediatra do Departamento de Pediatria e Neonatologia do Hospital Universitário Quirónsalud Madrid e do Hospital Quirónsalud San José, 'a escoliose é definida como a deformidade da coluna vertebral no plano anteroposterior superior a 10º’, isto é, para que seja considerado como escoliose, é necessário ter mais do que 10º de angulação.

Neste sentido, a escoliose pode ser classificada pela idade de aparição, sendo infantil quando ela aparece do nascimento até os três anos de idade, juvenil quando aparece a partir dos três anos até os dez anos, e adolescente quando aparece após os dez anos.'A escoliose infantil é rara, a juvenil é mais frequente e a adolescente é a mais comum, com 89% dos casos’, assegura a médica.

Para saber se vosso filho tem ou não escoliose, deve-se proceder ao exame de triagem mais simples e conhecido, que é o teste de Adams. ‘Mede-se a assimetria do tronco desde trás, com a criança flexionada para frente. É considerado positivo quando o tronco da criança tem uma corcunda a nível dorsal ou uma deformidade lombar. No estudo radiográfico pode-se avaliar a magnitude, o tipo da curva e o estado de maturação do esqueleto axial’, afirma a médica, que disse que ‘o tratamento é muito padronizado, tendo em conta o tipo e a magnitude da curva, o sexo e o estado maturacional do paciente’.

Tratamento da escoliose

"A observação é indicada para escoliose leve durante o período de crescimento ou para curvas moderadas (menores de 40º) se tu tiveres o crescimento completado", indica a Dra. Inmaculada Bodegas Canora.

Utiliza-se um corset para as curvas de 25 a 45º em crianças em fase de crescimento, para prevenir a progressão da curva enquanto a coluna continua em crescimento.

O tratamento cirúrgico é indicado em todas as curvas maiores de 45º em meninas antes de completarem a puberdade, também em curvas de 40-45º que apresentem progressão apesar do uso do corset, e em adolescentes maduros com curva superior a 50º. O objetivo do tratamento é obter a correção da curva e prevenir a progressão.  Geralmente, ela é realizada mediante a colocação de parafusos e barras nas vértebras envolvidas na deformidade, e com diferentes instrumentos realiza-se o realinhamento. A volta à maioria dos esportes é possível de 6 a 9 meses após a cirurgia.

Conselhos para viajar de carro

A pediatra sublinha a importância de garantir a segurança das crianças com um bom sistema de retenção infantil homologado e adaptado ao tamanho e ao peso de cada criança e sempre nos assentos traseiros.

"Os pacientes com escoliose leve, que só necessitam de observação clínica, e os pacientes com escoliose moderada que precisam utilizar o corset, devem utilizar sistemas de retenção infantil homologados e adaptados à idade, altura e peso, o mesmo que de outras crianças da sua idade", afirma a pediatra.

Desde que a maioria das escolioses são geralmente idiopáticas e ocorrem com mais frequência em adolescentes ou crianças com mais de 10 anos, é necessário manter os dispositivos de retenção até os 150 cm de altura e assegurar-se da colocação correta do cinto de segurança a partir desta altura.

"É especialmente importante adaptar os sistemas de retenção à doença subjacente em crianças com escoliose grave, de causas neuromusculares, congênitas, traumáticas ou sindrômicas", destaca.

No entanto, "se o paciente necessitou uma intervenção cirúrgica, deve sempre seguir os conselhos do especialista, que indicará segundo a evolução do paciente a hora correta para viajar”, conclui.


Ayúdanos a conseguirlo

Back to top