Skip to Content

Veículos muito altos são um problema para as crianças?

Vehículos demasiado altos, ¿son un problema para los niños?

30/09/2020

SUV, 4x4, ônibus... veículos altos são um problema de segurança para as crianças? Devemos ter em mente que as chances de ser atropelado podem aumentar quando falamos de veículos muito altos. As crianças, devido à sua altura, podem não ser vistas pelos motoristas, principalmente quando passam por trás do veículo. A isso se somam as consequências de um possível atropelamento que, quanto mais grande, mais alto e mais pesado for o veículo, mais grave é o acidente. No entanto, devemos destacar que, hoje em dia, há muitas tecnologias incorporadas nestes carros que tentam diminuir as consequências de todos estes acidentes.

Os veículos altos estão na moda, especialmente os conhecidos como SUVs. Trata-se de veículos derivados dos veículos off-road que compartilham parte de seu design. São maiores que um carro ou utilitário, embora possamos dizer que, hoje em dia, são um híbrido entre um utilitário e um 4x4. Na verdade, muitos não possuem a tração nas quatro rodas típica dos veículos off-road. Cada vez mais, os motoristas apostam neste tipo de veículo para a sua mobilidade. A isso se somam os inúmeros ônibus e caminhões que circulam em maior ou menor escala pela cidade. Em todo caso, são veículos que podem representar um risco para os pedestres, especialmente para crianças pequenas, que são mais vulneráveis e menos visíveis. 

No que diz respeito à sua segurança como passageiro, este tipo de veículo possui a mesma segurança e tecnologia que os demais automóveis. Enfatizamos a importância de as crianças sempre irem em um sistema de retenção infantil homologado e adaptado ao seu tamanho e peso. Sempre bem instalado e as crianças devidamente presas. 

De acordo com um estudo da Detroit Free Press e do USA Today, o aumento no uso de SUVs está levando a um aumento no número de atropelamentos fatais nos Estados Unidos. Especificamente, eles apontam que um SUV tem duas a três vezes mais chance de matar um pedestre em um atropelamento do que um carro convencional. O auge desse tipo de veículo grande é maior nos Estados Unidos do que na Europa, de modo que os índices podem variar consideravelmente. Nesse sentido, indicam que os atropelamentos fatais aumentaram 46% entre 2009 e 2016. Neste período, o número de atropelamentos fatais em que um SUV esteve envolvido aumentou 81%, segundo o mesmo estudo.

Esse tipo de veículo SUV tem um tamanho e um peso maior, além de ter uma frente muito mais alta e vertical. Em impactos diretos, o pedestre é atropelado sem a possibilidade de amortecimento sobre o capô. 

No entanto, não queremos nos referir apenas aos SUVs. Todos os veículos devido ao seu tamanho podem representar um risco para os pedestres, especialmente às crianças. Quanto maior o veículo, mais pontos cegos, ou seja, áreas que o motorista não consegue ver. De fato, um dos maiores riscos que as crianças correm ao andar de ônibus escolar é justamente ser atropelada. A Direção-Geral de Trânsito (DGT) da Espanha ressalta que 90% dos acidentes que ocorrem durante o transporte escolar ocorrem ao entrar ou sair do veículo ou justamente nos momentos imediatos ao embarque e desembarque. Em muitos casos, são atropelamentos causados por distração do menor, do motorista do ônibus escolar ou dos pais.

TECNOLOGIAS QUE AJUDAM A EVITAR ATROPELAMENTOS E A REDUZIR SUAS CONSEQUÊNCIAS

Cientes dos riscos e da vulnerabilidade dos pedestres, os fabricantes desenvolvem e implantam em seus veículos sistemas que ajudam a evitar atropelamentos e a minimizar suas consequências. 

Quais tecnologias foram implementadas?

- Capô ativo: quando os sensores detectam uma colisão, a parte traseira do capô se eleva para amortecer melhor o impacto contra o pedestre.

- Sistema de Alerta e Frenagem Autônomo: o veículo avisa ou para se detectar um pedestre ou ciclista em seu caminho. Esta tecnologia também foi desenvolvida para quando os veículos estão dando a marcha à ré. 

- Câmera frontal e traseira para detectar se há pedestres passando na frente ou atrás do veículo. Muito úteis quando falamos de crianças e especialmente de veículos muito grandes, como ônibus ou caminhões.

- Sons para veículos elétricos ou híbridos. Esses carros emitem pouco ruído, por isso, o pedestre não percebe sua presença e pode cruzar imprudentemente sem olhar, pensando que não há nenhum veículo se aproximando. Esses carros incorporam alertas sonoros e sons próprios para que sejam mais percebidos por todos os usuários.

- Controle de ponto cego. Possui câmeras localizadas nos espelhos retrovisores externos ou módulos de radar nos para-choques que controlam se o veículo está naquele espaço onde o motorista não tem visibilidade. O sistema avisa que existe um veículo localizado naquele ponto por meio de sinais luminosos no próprio espelho retrovisor. Na cidade, pode até alertar para a presença de ciclistas ou pedestres.

Objetivo Zero
Back to top