Skip to Content

Segurança rodoviária infantil: desafios e conquistas para chegar ao ‘Objetivo Zero’

Segurança rodoviária infantil: desafios e conquistas para chegar ao ‘Objetivo Zero’

Você sabia que 186.300 crianças morrem por ano em acidentes de trânsito no mundo? Isto é, dizer que mais de 500 crianças perdem a vida nas estradas por dia. O que está sendo feito a nível mundial para melhorar a segurança rodoviária infantil? O que está fazendo a União Europeia para reduzir o número de vítimas fatais e feridos? Em qual lugar se encontra a Espanha nesta luta?

A Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o período 2011-2020 como a ‘Década de Ação para a Segurança Rodoviária’ com o objetivo de estabilizar e reduzir o número de vítimas mortais em acidentes de trânsito em todo mundo, aumentando as atividades à nível nacional, regional e mundial.

Nesse sentido, o uso de sistemas de retenção infantil encontra-se entre os pilares básicos do Plano Mundial para a Década. Dentro da proteção dos usuários, especifica-se a importância de “estabelecer e vigiar o cumprimento das leis e regras baseadas em dados probatórios relativos ao uso do cinto de segurança e dos sistemas de retenção para crianças, a fim de reduzir os traumatismos ocasionados pelos acidentes”. O Plano Mundial também se centra na importância de vigiar uma série de indicadores. Por um lado, o número de países que contam com uma legislação sobre os sistemas de retenção para crianças; e, por outro lado, o número de países que contam com dados nacionais sobre as taxas de uso dos sistemas de retenção para crianças (como algo opcional).

A respeito disso, o ‘Relatório sobre a situação mundial da segurança rodoviária de 2013’ determina que somente 96 países contam com leis que exigem o uso de cadeiras para carro. Além disso, a vigilância do cumprimento das leis a respeito do uso de SRI segue sendo baixa na maioria dos países. Só 9% dos países com investimentos altos em vigilância é considerada ‘boa’, isto é, 17 países. Além disso, o relatório ‘Dez estratégias para preservar a segurança das crianças nas estradas’, de 2015, indica que 186.300 crianças perderam a vida em acidentes de trânsito em todo mundo.

O grande desafio da União Europeia

Relativo à União Europeia, o objetivo estratégico é reduzir pela metade o número de vítimas fatais nas estradas entre 2010 e 2020. Somente na Europa, todo ano, mais de 700 crianças menores de 15 anos perdem a vida em acidentes de trânsito e 100.000 ficam feridas.

Os dados coletados pela Comissão Europeia indicam que 26.000 pessoas perderam a vida nas estradas na UE em 2015, 5.500 a menos que em 2010, o que demonstra que está diminuindo o número de vítimas ainda que em um ritmo não esperado.

Espanha, mais perto de chegar no Objetivo Zero para 2020

A Espanha mostra-se ante a União Europeia e outros países do mundo como um exemplo a seguir relativo a melhora de segurança rodoviária. Ainda que esteja acontecendo uma ligeira recuperação, a ‘Estratégia de Segurança Rodoviária 2011-2020’, aprovada por Conselhos de Ministros no ano de 2011, conta com muitos dos 13 desafios já alcançados.

Um dos grandes objetivos é precisamente conseguir que nenhuma criança menor de 12 anos morra nas estradas por não usar um sistema de retenção infantil. O país começou no ano 2009 com 12 mortos por este motivo, chegou em 2015 com 5 vítimas fatais que não usavam o SRI e 3 crianças em 2016 que também não usavam o cinto.

No entanto, podemos dizer que ainda há um longo caminho para alcançar o ‘Objetivo Zero’. Em 2016, um total de 28 crianças morreram em acidentes de trânsito, 385 ficaram hospitalizados e 6.925 ficaram feridos levemente.

Objetivo Zero
Back to top