Skip to Content

Siga estas recomendações para prolongar a vida útil da sua cadeirinha

Sigue estas recomendaciones para alargar la vida útil de tu sillita de coche

31/03/2021

Até quando um sistema de retenção infantil pode ser usado? Pode ser passado e usado entre irmãos? Em que momento é aconselhável descartá-lo? Resolvemos todas as dúvidas que possam surgir a esse respeito. 

Saber qual é a hora certa de trocar de cadeirinha pode ser uma tarefa difícil. Visando responder a todas as suas dúvidas, nós da Fundación MAPFRE preparamos um infográfico onde abordamos quando trocar de sistema de retenção infantil. O tempo e o uso que está sendo dado à cadeirinha são dois pontos essenciais na hora de responder essa questão. 

Por quantos anos podemos usar um sistema de retenção infantil? De acordo com diferentes fabricantes, a vida útil de um SRI gira em torno de 6 a 7 anos. Apesar de tudo depender do modo como o utilizamos e o estado em que a cadeirinha se encontra, a passagem do tempo é inevitável e pode ocorrer o envelhecimento dos materiais e, portanto, seu estado pode não ser o mais adequado. No momento em que identificamos uma deterioração na cadeirinha, ela terá que ser descartada. 

Devemos ter em mente que estamos falando de sistemas de retenção infantil que devem proteger as crianças e que devem estar em perfeitas condições. Além disso, é um produto que exige certo investimento, principalmente se falamos de cadeirinhas que vão viradas para trás, então deve-se encontrar um meio termo. Por um lado, não devemos descartar uma cadeirinha muito cedo, mas também não devemos utilizá-la além do tempo estipulado. Em todo caso, o SRI deve ser trocado quando sua segurança puder ser questionada e deixar de ser totalmente funcional e eficaz. Em caso de dúvida, recomenda-se levar a cadeirinha a uma loja especializada que realize revisões, embora o mais aconselhável seja procurar o próprio fabricante.

Lembre-se de que o que mais afeta o sistema de retenção infantil é o uso e o desgaste. 

Em todo caso, devemos sempre mudar de cadeirinha se as correias não estiverem em boas condições ou estiverem visivelmente gastas; se o ISOFIX não funcionar corretamente; se a base do assento não travar; se algum elemento estiver faltando; ou se os indicadores não funcionarem. Além dessas indicações, é claro, devemos sempre trocar de SRI quando o mesmo não for mais apropriado para a criança de acordo com seu peso e altura ou já não atender às necessidades que a criança requeira, seja permanente ou temporariamente. Aqui oferecemos algumas dicas para a hora de trocar de cadeirinha.

Neste sentido, deve-se observar que também é muito importante trocar de SRI se o mesmo tiver sido envolvido em uma frenagem brusca ou em um acidente de trânsito. Devemos ter em mente que a cadeirinha pode apresentar danos internos que podem não ser visíveis. Tudo vai depender de como foi o incidente e, é claro, a cadeirinha sempre deverá ser trocada se elementos de segurança como o airbag forem acionados. Isso significa que a frenagem ou o acidente foi significativo o suficiente para que esses elementos entrassem em ação e, portanto, a cadeirinha também terá sido afetada. Não importa se a criança estava ou não sentada no sistema de retenção infantil. Basta a cadeirinha estar ancorada e presa no momento do acidente para que sua integridade esteja comprometida. 

Com efeito, é muito difícil determinar o grau de dano que uma cadeirinha pode sofrer após uma frenagem brusca ou colisão. Muitas vezes falamos de danos que podem não ser aparentes: danos na estrutura interna, nas âncoras, nos fechamentos, deformações, tensões no plástico... Se continuarmos a usar o SRI danificado, ele não protegerá como antes e a segurança dos nossos filhos ficará comprometida no caso de frenagens bruscas. Aqui falamos sobre como a velocidade afeta o SRI e o que acontece quando há uma frenagem brusca ou colisão.

DICAS PARA PROLONGAR A VIDA ÚTIL DA CADEIRINHA

-Cuide bem do sistema de retenção infantil. Não force nem bata ou puxe repentinamente os arneses. Verifique o estado das correias regularmente. Evite fazer fechamentos bruscos e verifique se não há nada quebrado.

-Para reduzir o envelhecimento do material, recomenda-se reduzir a exposição ao sol e a altas temperaturas. A luz solar (radiação ultravioleta) e as altas temperaturas podem encurtar a vida útil do SRI. É aconselhável estacionar o veículo em locais adequados, de preferência onde possa estar protegido das condições climatológicas. 

-Recomenda-se também cobrir a cadeirinha do carro quando não for utilizá-la, principalmente se o veículo for ficar muito tempo ao sol.

-Os assentos de elevação têm a função de elevar a criança para que o cinto de segurança fique devidamente colocado. Em geral, os assentos de elevação têm um desgaste menor e uma suscetibilidade ao envelhecimento mais baixa. Em todo caso, devemos ter em mente que também não são eternos e que o uso e a passagem do tempo também os afetam.

-Deve-se realizar uma limpeza adequada do sistema de retenção infantil com periodicidade para que os materiais não se deteriorem. 

-Também é recomendável desinstalar a cadeirinha do carro caso não vá ser usada por muito tempo e guardá-la em um local seguro, de preferência na própria caixa e com o manual do usuário, bem como com todos os elementos necessários como a base e o Pé de Apoio.

Ademais, nós da Fundación MAPFRE queremos enfatizar os numerosos avanços tecnológicos e de segurança que são realizados ano após ano. As cadeirinhas de auto mais novas incorporam essas tecnologias ou materiais, tornando-as mais seguras. Essa é uma das razões pelas quais também não é aconselhável prolongar muito a vida útil de uma cadeirinha de auto. Quanto mais nova a cadeirinha for, mais avanços deve conter. Além disso, terá sido submetida a testes de segurança e homologação mais recentes (R-129). 

Por fim, recomendamos a leitura do infográfico da Fundación MAPFRE onde discutimos qual é o momento certo de trocar de sistema de retenção infantil.

Cuando cambiar de SRI

Objetivo Zero
Back to top