Skip to Content

Quatro de cada 10 crianças que morrem em acidente de trânsito em Portugal são simplesmente passageiros

DefaultAlt

05/11/2015

Poderia parecer que as crianças são mais propensas a sofrer acidentes quando são peões, mas não é assim. Em Portugal 43% das crianças falecidas em acidente de trânsito eram simplesmente passageiros dum automóvel. As crianças falecidas como peões 26%.

Isto faz notar que ainda há que realizar importantes esforços para melhorar a segurança das crianças quando viajam de carro.

O primeiro é entender que nenhuma criança que mede 1,35 m de altura ou menos pode viajar sem uma cadeira de carro (sistema de retenção infantil) adequada à sua idade, altura e peso. Por muito amor da mãe pelo seu filho, as leis da física se impõem, e não, mesmo que a mãe acredite o contrário, os seus braços não são capazes de segurar o bebé em caso de acidente, e sairá voando com consequências letais. Um bebé não pode ir nunca de carro nos braços da mãe ou pai, não é seguro.

Às vezes, infelizmente, ainda podemos ver adultos viajar com as crianças no colo. Este comportamento, mais frequente do desejável, é muito perigoso. Se o adulto também não levasse o cinto de segurança colocado, em caso de uma travagem brusca ou um acidente, a criança sairia voando contra o painel ou o para-brisas a ser esmagada com uma força superior a 1.000kg. Mas inclusive, ainda com o cinto, não poderia segurar o bebé e evitar que saísse voando ao painel ou para-brisas ou, inclusive, fora do carro.

diferentes tipos de cadeiras, de acordo com o crescimento da criança. Para as crianças menores, de até 4 anos de idade, é recomendável ir no sentido contrário à circulação, pois é mais seguro: o pescoço fica melhor protegido em caso de acidente. Usar uma cadeira é obrigatório porque é necessário. Não há discussão, nem desculpa possível.

O segundo é revisar com frequência que a cadeira está bem montada no carro. Uma cadeira colocada sem fixar no assento não cumpre a sua função: sairá voando no caso de acidente pela inércia da travagem ou choque. Devemos ler com atenção o manual de instruções da cadeira para instalar perfeitamente, e em caso de dúvida consultar um especialista.

Também não devemos esquecer nunca que a criança deve utilizar sempre a cadeira de carro, e deve ir perfeitamente segura a ela com o arnês, escudo ou cinto. Não podemos permitir, em nenhuma circunstância, que a criança esteja na cadeira sem estar bem segura, nem mesmo quando a distância é muito curta (“de menos de 5 minutos”), nem a circular por cidade. Ainda há maus hábitos que corrigir.

As crianças devem viajar nos bancos de trás, pois são mais seguros que o banco da frente.

E evidentemente, algo que é válido para melhorar a segurança viária em qualquer momento, é ainda mais ao dirigir com crianças no carro: dirigir com precaução, não beber antes de dirigir, não consumir drogas, não distrair-se com o telemóvel, manter a distância de segurança e não ultrapassar os limites de velocidade, são fundamentais para reduzir ao mínimo as possibilidades de sofrer um acidente.

Back to top