Skip to Content

Patinetes elétricos, quais cuidados devem ter as crianças na hora de andar?

Patinetes eléctricos, ¿qué precauciones deben seguir los más pequeños?

13/08/2018

Há cada vez mais tipos de patinetes elétricos nas ruas e nos parques, desde os mais simples até os mais modernos e tecnológicos.  Vemos de todos os tamanhos, usados por crianças e adolescentes e nos últimos natais foi o presente estrela em muitos lares. Podemos vê-los em lojas de brinquedos, mas na realidade não são brinquedos e devemos ter certas precauções na hora de deixar as crianças utilizarem. Por outro lado, existe uma lei que devemos respeitar.

Do ponto de vista da DGT, este tipo de veículo é considerado um veículo de mobilidade pessoal, sendo assim não é considerado um veículo a motor e por isso não é preciso de licença para os dirigir. Também não é obrigatório contratar um seguro. No fundo, serão as prefeituras as responsáveis por legislar seu uso, e essa é nossa primeira obrigação como pais: consultar a lei local a respeito deste tipo de veículo. E é de responsabilidade da prefeitura a autorização do seu uso em calçadas, zonas de pedestres, parques, ou assimilá-las a bicicletas. Nesse caso teremos que observar o que está exposto na legislação de trânsito. Devemos lembrar que, por exemplo, foi proibido seu uso em muitos calçadões na orla da praia ou calçadas, tendo que circular pela ciclovia.

O que acontece enquanto não há uma legislação clara a respeito?

Como podemos imaginar, enquanto não há uma lei clara a respeito, somos nós, os pais, os responsáveis por nossos filhos nos seus patinetes elétricos. Em primeiro lugar, as recomendações mais habituais indicam que não se deve utilizar os patinetes elétricos antes dos 10 anos. Se estiverem sendo supervisionados por um adulto a criança poderá usar o patinete elétrico com 8 anos. Para potências elevadas (de 500W ou mais) deverão esperar os 12 anos. 

Geralmente, para qualquer patinete elétrico, por pouco potente que seja, recomenda-se a supervisão de um adulto no caso de crianças menores de 8 anos. Trata-se de crianças que ainda calculam mau as distâncias, sua força e suas próprias habilidades. Se circulam por zonas próximas ao trânsito correm o risco de perderem o controle com facilidade. 

Para as crianças menores, o mais recomendável é utilizarem seus patinetes elétricos em zonas afastadas do trânsito e sempre supervisionadas por adultos. Além disso, temos que observar alguns pontos importantes como a manutenção do aparelho, a proteção da criança e as leis de trânsito, entre outras coisas.

No caso da proteção, é importantíssimo que as crianças usem seus patinetes equipados com capacete, cotoveleiras, joelheiras e até luvas para evitar escoriações nas mãos em caso de queda. Dependendo do tipo de veículo, varia as lesões mais frequentes, mesmo assim podemos dizer que as zonas afetadas com maior frequência costumam ser os joelhos, os pulsos e o rosto.

No caso de utilizar o patinete fora dos lugares fechados, a criança deve conhecer a lei de trânsito de sua cidade (onde pode ou não utilizar o patinete, e como deve fazer). É fundamental para a segurança deles (bem como para nossa tranquilidade) que eles tenham as noções básicas de segurança e das leis básicas de trânsito, mas em casos de crianças pequenas sempre é melhor que o utilizem em zonas sem trânsito.

Não podemos esquecer antes de mais nada  de verificar se o aparelho está devidamente homologado e se conta com o selo CE como garantia de qualidade e segurança. Uma revisão prévia e fazer uma manutenção básica é muito recomendável antes de sair com o patinete, sobretudo quanto a carga da bateria, o estado das rodas e que tudo esteja bem apertado, para evitar incidentes. 

Objetivo Zero
Back to top