Skip to Content

Êxito da campanha #SaveKidsLives: alcança um milhão de assinaturas e continuará

DefaultAlt

13/01/2016

Felizmente, cada vez se avança mais em segurança rodoviária, mas ainda morrem por dia 500 crianças na estrada, segundo dados da Organização Mundial de Saúde, e há milhares de menores feridos por esta mesma causa. Consciente que esta situação deve e pode melhorar, o Grupo de Colaboração em Matéria de Segurança Rodoviária da ONU iniciou, em princípios de 2015, uma campanha chamada #SaveKidsLives, para recolher assinaturas e apresentá-las aos governos durante a Conferência Mundial de Alto Nível sobre Segurança Rodoviária, celebrada em Brasília, entre os dias 17 e 19 de novembro passado. O objetivo: que se comprometessem a agir para evitar as mortes e os acidentes em estrada.

A campanha alcançou um milhão de assinaturas pela internet, que as crianças entregaram aos responsáveis em segurança rodoviária de vários países durante a cerimónia de abertura da conferência. Com este ato instou-se a que empreendam medidas para reduzir o número de mortes para metade, seguindo os princípios do programa Década de Ação para a Segurança Rodoviária 2011-2020.

Como parte da campanha, e impulsionado pela Fundação FIA e a FIA (Fédération Internationale de l'Automobile), o diretor de cinema Luc Besson rodou uma curta que mostra como as crianças da África do Sul arriscam a sua vida para ir à escola e, inclusivamente, algumas perdem-na (neste caso as imagens são reais e impactantes). O realizador compara esta situação com o percurso para a escola de alguns meninos em França, onde o sistema de segurança rodoviária protege os menores.

"Esperamos consciencializar para a magnitude da epidemia das lesões de trânsito e, em particular, para a situação nos países em vias de desenvolvimento, onde se produzem mais de 90% das mortes e lesões das crianças. São tragédias evitáveis. Durante muito tempo produziu-se uma tendência para "culpar a vítima" - a criança que atravessa a rua - mais do que a conceção das estradas, devido a uma planificação territorial desigual, a falta de ação política e outras falhas no sistema, como a inexistência de controlos de velocidade, que são as causas reais desta chacina atroz", disse Saul Billingsley, diretor da Fundação FIA na apresentação do filme.

Todos os participantes da conferência concordaram que a campanha #SaveKidsLives deve continuar. Assim, fazem um apelo através da web a todos que quiserem dar ideias para desenhar ações concretas para a fase seguinte.

13/01/2016

Back to top