Skip to Content

Melhor #acontramarcha, iniciativa nas redes sociais para que as crianças viagem no sentido contrário

Melhor #acontramarcha, iniciativa nas redes sociais para que as crianças viagem no sentido contrário

A melhor maneira para que as crianças viagem em seus sistemas de retenção infantis (SRI) é no sentido contrário ao da marcha. Pela lei, os pequenos devem ocupar os bancos traseiros do carro sempre que não seja uma das três exceções contempladas (como detalhamos no artigo “Como as novas regras afetam o posicionamento da cadeirinha de seu filho no carro”), e contra o sentido da marcha até, no mínimo, 15 meses de idade. E, aconselhável, até os quatro.

É aconselhável estender esta posição pelo maior tempo possível desde que a anatomia da criança e o senso de viagens lhe permitam, pois crianças menores de quatro anos podem ser feridas mais gravemente no pescoço e na cabeça, por não terem os músculos completamente desenvolvidos. A realidade é bem diferente, e o que muitas vezes acontece é que, após o tempo “obrigatório” de 15 meses, as crianças passam a viajar no sentido usual de circulação.

Há muitas razões para mudar o sentido das cadeirinhas no carro logo no início, e uma das mais importantes é o simples fato de que a lei não lhe obriga a fazê-lo depois de certa idade. Devemos entender que, embora não haja nenhuma lei que nos obrigue a manter a contramarcha, podemos estender esse período por mais alguns meses, enquanto as crianças continuem confortáveis e, acima de tudo, enquanto sigam crescendo e fortalecendo sua estrutura e musculatura.

Outras razões dadas para continuar na direção da marcha é que não há uma variedade de cadeirinhas para maiores de 15 meses que podem ser utilizadas contra a marcha. É uma crença generalizada, mas com pouco fundamento, pois há muitos modelos no mercado espanhol com essa possibilidade. Provavelmente não nos catálogos de supermercados ou outros estabelecimentos, mas é possível encontrar opções on-line para adquirir esses dispositivos.

Desde a Fundación MAPFRE recomendamos que as crianças viagem no sentido contrário ao da marcha o maior tempo possível, pois já foi comprovado ser mais seguro. 

Esta posição permite que as crianças gozem de maior proteção no pescoço e na cabeça em caso de colisão, ao contrário do caso de viajar na direção da marcha. Em caso de colisão, uma criança com menos de quatro anos tem maior probabilidade de sofrer lesões nestas duas áreas sensíveis do que alguém que viaja no sentido contrário ao da marcha. Na verdade, levar as crianças no sentido contrário reduz em 80% o risco de ferimentos graves.

Neste sentido, recomenda-se um SRI homologado pelo i-Size, que assegura que todos os bancos virados de costas possam ser utilizados pelo menos até os 15 meses de idade.

A iniciativa “melhor #acontramarcha”

Para ajudar na conscientização coletiva sobre a melhoria substancial na segurança quando mantemos a cadeirinha do carro contra a marcha por mais tempo e nos melhores resultados em termos de proteção e segurança para os nossos filhos, existe uma iniciativa privada que se identifica nas redes sociais através da hashtag #acontramarcha e que procura divulgar a maior quantidade de informações possível a respeito.

A campanha de conscientização #maisnenhumpequenoemperigo ou #acontramarcha que é a favor dos pequenos viajarem na direção contrária à da marcha tem tido uma grande repercussão nas redes sociais, chegando a ser trending top no Twitter. O objetivo não é outro se não difundir as vantagens e os motivos pelos quais as crianças devem viajar no sentido contrário ao da marcha durante o maior tempo possível.

Em Estudos de cadeirinhas de crianças para carro’, da Fundación MAPFRE, abordamos precisamente a importância de levar os menores de costas, até quando deviam levar as crianças no sentido contrário ao da marcha e o que é que indicam as diferentes organizações internacionais a respeito disso. 

Recomendamos-lhe também o artigo  ‘DGT: cadeiras de crianças no sentido contrário’, e ‘É correto colocar a cadeira infantil no sentido contrário ao da marcha?”. Assim como nosso infográfico: `Maneiras de colocar a criança em uma cadeira infantil´.

Ayúdanos a conseguirlo

 

Back to top