Skip to Content

É assim que a sinistralidade viária infantil evoluiu nos últimos anos na Espanha

Así ha evolucionado la siniestralidad vial infantil en los últimos años en España

13/11/2019

Na Espanha, a sinistralidade viária infantil volta pouco a pouco à tendência de queda que vivenciamos nos últimos anos. Nos últimos dois anos (2016 e 2017, já que os dados que apresentaremos se referem a 2018), a mortalidade infantil nas estradas aumentou e agora estamos novamente no caminho descendente.

No entanto, continuam sendo muitas. Uma só criança que morra em um acidente de trânsito é demais, algo que se afasta do nosso Objetivo Zero Vítimas.

Olhando para trás, podemos verificar a evolução da sinistralidade viária infantil desde 1990 e atestar que estamos a caminho de alcançar a nossa meta, mas ainda nos falta.

Se olharmos para as mudanças na infraestrutura, quase não havia as rodovias atuais (a maioria não existia ou estavam incompletas) e nos deslocávamos pelas estradas nacionais, mais perigosas per se do que as rodovias modernas.

Se pensarmos nas tecnologias aplicadas aos carros, os avanços em segurança ativa e passiva nos carros são enormes, desde pneus a sistemas mais avançados, como os que permitem uma frenagem de emergência autônoma.

Se contarmos, também, os avanços nas cadeirinhas (desde os materiais às novas homologações) e, é claro, a maior conscientização social sobre o uso do cinto e dos Sistemas de Retenção Infantil, podemos entender a redução de acidentes nos últimos 30 anos.

Siniestralidad vial infantil

Um dado que, sem dúvida, nos ajudará a entender a evolução da sinistralidade viária infantil nos últimos anos é que, desde 1990, o cinto de segurança se tornou obrigatório em todos os assentos do carro. A partir desse momento, e graças também às progressivas campanhas de conscientização sobre o uso da cadeirinha, a taxa de acidentes diminuiu gradualmente até chegar aos números de 2018: 25 mortos e um total, entre mortos e feridos, de 356 crianças menores 14 anos.

No entanto, isso não é suficiente. Um único morto na estrada é demais, é uma tragédia, e todos devemos fazer parte do esforço comum para alcançar o Objetivo Zero, zero vítimas nas estradas, zero vítimas crianças.

Em 2018, 25 crianças de 0 a 14 anos morreram devido a acidentes de trânsito, 10 mortes a menos que 2017. Nas vias interurbanas morreram 14 crianças e 11 em vias urbanas. Dos 25 mortos, 13 eram passageiros, 11 pedestres e um era ciclista. No total, 331 crianças foram hospitalizadas devido a acidentes de trânsito, um valor 4% menor que em 2017. 

Do total de crianças hospitalizadas por esses motivos, 64% sofreram o acidente em estradas urbanas e 55% eram pedestres. Em relação ao uso de sistemas de retenção infantil em menores de 12 anos que viajam em carros e vans, 8 dos 85 feridos hospitalizados não usavam sistema de retenção para crianças nem cinto de segurança, e 25 dos 3.308 feridos hospitalizados tampouco usavam.

Objetivo Zero
Back to top