Skip to Content

Estes são os pontos de erro humano ao ajustar a cadeira no veículo

Instalação de SRI

07/09/2015

Estão todas tão interiorizadas que parece incrível fazer tantas coisas ao entrar no veículo: comprovar que o banco está em sua posição correta, que vemos pelos espelhos, que a alavanca de câmbio está em ponto morto e algumas mais.

Além das ações interiorizadas temos outras que, não por menos importantes, podemos ir mais rápido e realizar sem prestar muita atenção, por exemplo, ajustar a cadeira de nossos miúdos ou verificar se o cinto está bem colocado e com o ajuste perfeito. Por isso, entre as causas mais frequentes de falha nas cadeiras está o fator humano, a distração que faz com que o sistema de retenção infantil não funcione 100% com a máxima eficácia. Quais são esses erros? 

1. Não comprovar o estado dos cintos da cadeira. Se temos ISOFIX, basta com um pequeno puxão para comprovar que tudo está correto, se temos a cadeira que se ajusta com cinto de segurança, podemos revisar três pontos. Primeiro, que está corretamente fixado; segundo, que não está dobrado ou folgado por qualquer motivo (um brinquedo pode aparecer em qualquer lugar); terceiro, mesmo não encontradas dobras ou algo estranho, devemos puxar novamente o cinto cada vez que colocamos a criança.

2. Colocar mal as crianças na cadeira. A colocação da criança é um passo importante para conseguir uma fixação perfeita com a cadeira. A melhor postura possível é na que estão sentados, erguidos e com as costas pegadas no banco, e a cadeira o mais atrás possível. Nessa postura procederemos a colocar os cintos.

3. Os cintos também devem ser revisados e não comprovar é um grande erro. Devemos ver se há dobras ou se por alguma razão não somos capazes de puxar corretamente. Um cinto que cede, que não está bem ajustado, não ajuda às crianças, pelo contrário. Se é necessário, retirar o SRI do veículo e colocamos perfeitamente os cintos (isto é recomendável quando não necessitamos sair com as crianças, de vez em quando e sem pressa).

4. Colocar o cinto na criança quando ela está com um casaco gordo é um erro. Isto acontece quando com a pressa para ir para a escola, mas é um erro frequente e fácil de evitar. Quanto mais roupa, menos podemos ajustar o cinto ao corpo por vários motivos: o volume do casaco impede; pensamos (com razão) que o miúdo tem calor com tanta roupa e tanta pressão do cinto. O correto é ter tempo necessário para tirar o casaco e sentar corretamente.

5. Pensar que, se ajustamos mais, estamos a magoar a criança, ou pensar que já que “quase” está na altura regulamentar, podemos tirar o banco elevador. Um dos erros mais frequentes é antepor os desejos lógicos de liberdade de nossos filhos, a sua própria segurança. Se o nosso filho mede menos de 135 cm, deve usar o seu SRI regulamentar até superar essa altura, por mais que não gostem devem usar.

A segurança de nossos filhos bem merece dedicar cinco minutos extras para comprovar o SRI, cinto, postura e regulação do cinto. São cinco minutos (porém, frequentemente é menos tempo). Assim, contribuímos para a segurança das crianças e para a nossa tranquilidade.

Back to top