Skip to Content

É assim que uma criança deve viajar depois de deixar a cadeirinha

Así debe viajar un niño después de dejar la sillita de coche

03/11/2020

Você sabe qual é a hora certa de abandonar os sistemas de retenção infantis e colocar a criança diretamente com o cinto de segurança no carro? Devemos ter em mente que só devemos deixar de usar a cadeirinha ou o assento de elevação quando o cinto projetado para adultos puder ser colocado corretamente na criança. Obviamente, nunca devemos fazer essa troca antes do tempo e devemos sempre cumprir com as normativas existentes a este respeito em cada país.

Dependendo do país em que estamos, podemos ter algumas normativas que exijam que as crianças usem um sistema de retenção infantil até os 135 cm ou 150 cm de altura. Neste artigo, falamos sobre isso. Em todo caso, devemos ter em mente que normalmente são aos 150 cm de altura quando o cinto de segurança fica colocado corretamente. Por isso, embora o regulamento só obrigue o uso do SRI até 135 cm, nós da Fundación MAPFRE recomendamos continuar usando-o até os 150 cm

Os cintos de segurança foram pensados para os adultos. O assento de elevação é a última etapa antes de passar a usar diretamente o cinto de segurança. Esse assento é responsável por garantir que o cinto fique bem ajustado e segure a criança da maneira adequada. Ele “eleva” a criança para que assim seja. 

De acordo com o relatório “Assentos de elevação no carro: quanto tempo devem ser usados?”, elaborado pela Fundación MAPFRE, deixamos de usar os assentos de elevação muito cedo e passamos a usar os cintos de segurança antes do tempo. Os assentos de elevação não devem ser abandonados muito rapidamente pois, se o cinto não for usado corretamente, as consequências podem ser muito graves. Aqui abordamos as consequências de não usar este tipo de assento quando necessário.

Saberemos que chegou o momento certo quando o cinto de segurança ficar devidamente colocado e ajustado. Devemos ter em mente que o cinto nunca deve passar por cima do pescoço da criança e deve sempre ficar o mais baixo possível sobre os quadris. 

É assim que o cinto deve ficar: 

  • A faixa diagonal deve passar pela clavícula, por cima do ombro e perto do peito. 
  • A banda ventral deve ficar o mais baixo possível sobre o quadril.
  • O cinto nunca deve ser usado torcido, dobrado ou folgado.

O encosto de cabeça também é fundamental, tanto ao usar assentos de elevação sem encosto quanto ao usar o cinto de segurança diretamente. Lembramos que assentos de elevação com encosto oferecem uma maior proteção, principalmente em caso de impactos laterais. Além de evitar possíveis erros na colocação do cinto.

O encosto de cabeça protege a cabeça e o pescoço em caso de acidente. Portanto, é importante que a cabeça da criança esteja posicionada corretamente em relação ao apoio de cabeça. Este deve estar a cerca de 4 centímetros de distância da cabeça. Além disso, sua altura deve ser ajustada de forma que o centro de gravidade da cabeça, que geralmente fica na altura dos olhos, coincida com a parte mais resistente do encosto. É importante deixá-lo bloqueado para que não desça e suba sozinho ou seja facilmente manipulado. Devemos ter em mente que se não estiver posicionado corretamente, pode agravar as lesões em caso de acidente ou frenagem brusca. 

Se não for colocado no lugar certo, ele deixará de fazer seu trabalho adequadamente e o que é conhecido como “efeito chicote” pode surgir. Sua gravidade dependerá da posição correta do encosto de cabeça, podendo até causar lesões na medula espinhal nos casos mais graves.

Neste infográfico, discutimos como o cinto de segurança e o encosto de cabeça devem ficar:

Cinturón

Objetivo Zero
Back to top