Skip to Content

Direção Geral de Trânsito acrescenta a vigilância do uso do cinto de segurança e as cadeiras para carro do dia 13 a 19 de março

Direção Geral de Trânsito acrescenta a vigilância do uso do cinto de segurança e as cadeiras para carro do dia 13 a 19 de março

15/03/2017

Sabemos que quando vamos andar carro sempre devemos usar o cinto de segurança e que as crianças devem viajar com sistema de retenção infantil. No entanto, apesar de conhecer suas vantagens e obrigatoriedade, ainda muitos não utilizam. As consequências disso são desastrosas. Prova disso são as 178 pessoas que lamentavelmente perderam a vida em acidentes de carro por não usarem o cinto de segurança em 2015, de acordo as estatísticas oferecidas pela DGT. O uso do cinto de segurança reduz à metade o risco de morte em caso de acidente enquanto a utilização de sistemas de retenção infantil apropriados reduz em 75% as mortes e 90% as lesões.

Por tudo isso, a Direção Geral de Trânsito (DGT) coloca em prática uma nova campanha com o objetivo de instruir aqueles condutores ou ocupantes de veículos que ainda não fazem uso destes dispositivos de segurança.

Durante uma semana, agentes do Agrupamento de Trânsito da Guarda Civil e policias municipais irão aumentar a fiscalização, verificando se todos os ocupantes do carro viajam adequadamente com o cinto de segurança e as cadeiras para crianças necessárias.

Em 2015, último ano que foi coletado dados tanto de vias urbanas como interurbanas, 22% (159) dos falecidos em acidentes com carros de passeio não utilizavam o cinto de segurança em via interurbana. Em vias urbanas não faziam uso do mesmo 19 dos 70 falecidos. Os dados também apontam que 10% dos feridos hospitalizados em acidentes ocorridos nas vias interurbanas e 14% nos em vias urbanas não usavam cinto de segurança.

O transporte das crianças- Responsabilidade do adulto

A DGT afirma que a segurança das crianças dentro do carro é responsabilidade do adulto. Por isso, recorda que as crianças com estatura igual ou inferior a 135 cm que irão andar no veículo, além de viajar com o sistema de retenção infantil adequado a sua altura e peso como a regra exige, deverão ir sentados obrigatoriamente nos assentos traseiros dos veículos, exceto: se o veículo não dispõe de assentos traseiros ou se todos os assentos traseiros estão ocupados por crianças na cadeira não sendo possível instalar o SRI.

Somente nestes casos, as crianças poderão ocupar o assento dianteiro do veículo, mas sempre utilizando o sistema de retenção homologado a sua altura e peso.

Neste sentido, DGT destaca a importância de contar com uma cadeira corretamente homologada e recorda que se vamos adquirir um novo sistema de retenção infantil devemos saber que a nova regulamentação europeia é o UNECE R-129, e que esta legislação está atualmente atuando com a R-44/04. Esta última desaparecerá nos próximos anos.

‘A criação da R-129 é fruto da necessária atualização da R- 44/04 para adaptá-la aos novos avanços tecnológicos’, indicam a DGT. Aqui poderá conhecer quais são as principais diferenças entre as legislações. Devemos recordar que a R-129 não divide as cadeiras em grupos e que teremos que escolher o SRI de acordo com a altura da criança enquanto na R-44/04 se faz pelo peso da criança, entre outras características. 

Para que um SRI ofereça eficiência na segurança, este deve ser o adequado para a criança de acordo com o peso (R-44/04) ou a altura (R-129). Também devemos seguir as indicações do fabricante para sua correta instalação e fixação da criança. Nestes infográficos encontrará conselhos para realizar este trabalho de forma correta. Sabemos que a cadeira não será eficaz se não estiver bem engatada ou se a criança não ir adequadamente acomodada no SRI.

 


Plazas más seguras para colocar la sillita


Ayúdanos a conseguirlo

Back to top