Skip to Content

É perigoso que uma criança vá com as pernas dobradas em um SRI virado para trás?

¿Es peligroso que un niño vaya con las piernas dobladas en un SRI mirando hacia atrás?

08/03/2018

Conhecemos as vantagens de levar as crianças em sistemas de retenção infantil viradas para trás. No entanto, muitas pessoas comentam que transportar as crianças desta forma pode comprometer a segurança de suas pernas, as quais em muitos casos devem ficar dobradas para poderem ir neste tipo de SRI. 

As cadeirinhas viradas para trás garantem uma maior proteção da cabeça,  pescoço e coluna, precisamente umas das partes mais vulneráveis, especialmente quando falamos de crianças. Há que ter em mente que precisamente os bebés têm a cabeça maior e mais pesada em relação ao resto do corpo.  Por este motivo, é vital sua proteção Em um SRI virado para trás, a cabeça, pescoço e costas estão alinhados sobre o encosto e a força de impacto é absorvida pela própria cadeira, reduzindo assim a pressão sobre tórax e abdómen. De facto, os sistemas de retenção infantil virados para trás evitam 80% as lesões graves em caso de acidente. 

Devemos ter em mente que as crianças são especialmente ágeis. Por este motivo, algo que para nós pode ser incómodo, para eles pode não ser. Basta ter em mente que atualmente pode ser encontrado no mercado SRI virados para trás até os 25 kg e 120 cm de altura, isto é, crianças já de certa altura. Através da Fundación MAPFRE recomendamos ir viradas para trás o maior tempo possível e no mínimo até os 4 anos de idade. Aproximadamente nesse momento a musculatura da criança já está ossificada e formada.

Há que ter em mente que se a criança viaja virada para trás, a força do impacto frontal faria que por uns segundos as pernas se flexionassem para o peito. Os estudos não demonstram que isso possa produzir uma lesão ou pelo facto de viajarem desta forma. Não há casos registados de fraturas de pernas nestas posições. Pelo contrário, se a criança viaja virada para frente, a lesão no pescoço poderia ser irreversível. Ainda que custe dizê-lo, uma lesão de pescoço, cabeça ou coluna pode ser fatal.

O recomendável é que as crianças cruzem as pernas ou as apoiem diretamente no encosto do assento traseiro. É que por mais posições que tenha o SRI, irremediavelmente a criança terá que dobrar as pernas. Isto não quer dizer que a cadeirinha já seja pequena. Para determinar isto teremos que verificar se efetivamente o peso da criança ou a altura excedem o recomendado pelo fabricante ou que a cabeça ultrapasse a altura do SRI.  

Objetivo Zero
Back to top