Skip to Content

Como viajar com um cão e uma criança de forma segura?

¿Cómo viajar con un perro y un niño de manera segura?

10/03/2016

Com total segurança, uma das imagens mais ternas que podem existir é a de uma criança a brincar com o seu cão. Gostaríamos de levar esta relação para todo o lado e podemos fazê-lo. É perfeitamente possível o seu animal de estimação viajar consigo. No entanto, quando viajamos com uma criança e um animal de estimação é necessário que coloquemos em prática uma série de precauções, especialmente se falarmos de um recém-nascido ou bebé de poucos meses.

Chegam as férias e saímos de casa à procura de outro lugar para passar alguns dias mais tranquilos. Por isso, o cão deverá ser mais um passageiro. Seguramente que, durante a viagem, a criança gostaria de ir toda a viagem a brincar com ele, mas não pode ser. Os cães (na realidade, qualquer animal), implicam um perigo quando se vai ao volante. De facto, recordamos que, em caso de acidente a 50km/h, o animal multiplica o seu peso por 35.


CÃO SOLTO, RISCO PARA O CONDUTOR

Primeiramente, eles não estão habituados a viajar, podem ficar nervosos e é impossível prever as suas reações.  Imagine que o cão solto passa para a zona dianteira do veículo, e não lhe ocorre um lugar melhor onde ficar do que entre as pernas do condutor, impedindo que possa travar, acelerar, mudar de sentido… ou seja, conduzir corretamente, o que pode provocar um desastre e colocar em risco todos os ocupantes do veículo.

Segundo o Código da Estrada: “O condutor de um veículo está obrigado a manter a sua própria liberdade de movimentos, o campo necessário de visão e a atenção permanente à condução, que garantam a sua própria segurança, a dos restantes ocupantes do veículo e a dos outros utilizadores da estrada. Para este efeito, deverá ter o especial cuidado de manter a posição adequada, tal como os restantes passageiros, e a adequada colocação dos objetos ou animais transportados para que não haja interferências entre o condutor e qualquer um deles.”

Resumindo um pouco o código, sempre que o cão não interfira com o condutor durante a condução ou com o seu campo de visão, a lei está a ser cumprida. Devemos evitar tudo isto. 


RISCO PARA A CRIANÇA

Além do que já foi mencionado, se levarmos o cão solto na parte traseira junto com um bebé, é impossível podermos controlá-lo a partir da zona do copiloto e muito menos do lugar do condutor. O cão vai querer estar com o bebé. Ao não estar preso, em caso de travagem brusca ou acidente, sairá disparado, podendo colidir também contra o menor. Todo esto debemos evitarlo.


COMO VIAJAR DE FORMA SEGURA?

De todo o modo, um cão deixa de ser um animal para tornar-se num membro da família. Assim, existem diversos métodos para que seja mais um passageiro, garantindo a sua segurança no veículo em marcha. No artigo "Como deve viajar o nosso animal de estimação no carro?" abordamos a forma segura de fazê-lo.

A primeira pergunta à qual devemos dar resposta: Pode viajar no nosso veículo? Sim. Além disso, pode viajar com a criança atrás? Sim, mas com precaução e dependendo da idade do menor. Agora indicamos todas as maneiras possíveis que a DGT recomenda. A única resposta negativa que encontramos é ao perguntar se o animal pode viajar solto. Claramente, não.

Agora, as maneiras para que o vosso animal de estimação viaje na parte de trás do carro junto com o(a) vosso(a) filho(a):

  • Arnês de um só engate. Sistema válido e muito eficaz em caso de acidente a velocidades reduzidas. É como se fosse uma trela convencional de passeio mas numa ponta leva o arnês, que acoplaremos ao cão, e no outro, uma lingueta que se introduz no gancho do cinto de segurança. Trata-se de uma opção ideal para quando a criança tem uma idade suficiente para controlar o cão ou para que não o magoe. Se falarmos de uma criança muito pequena que vá no ovo, o ideal é levar o cão como indicamos adiante. 
  • Arnês com dois engates. Este tipo de arnês é mais seguro já que, em caso de colisão, evita o deslocamento do cão contra o assento do condutor. Para isso, é recomendável que tenha um sistema de união curto, para que o animal não choque contra nenhum assento.
  • Transportadora presa com cinto de segurança. A transportadora é uma das opções mais utilizadas quando falamos de transporte de veículo, desde que o animal tenha um tamanho pequeno. Estas caixinhas podem prender-se, através do cinto, e permitir que o animal viaje sobre os assentos traseiros, fazendo companhia às crianças. É a melhor forma quando a criança é demasiado pequena.
  • Transportadora no chão do veículo. Se é pequena, encaixará perfeitamente no espaço vazio entre assentos. Esta forma é mais segura para o animal já que, ao ter pouco espaço de ação, a energia do impacto será absorvida rapidamente. Recomendamos igualmente que esteja presa. Também é uma boa opção em caso de contar com um bebé.
Estas possibilidades são as mais recomendadas sempre que o animal seja de um tamanho reduzido. Se o seu animal de estimação já tiver um tamanho considerável, este não poderia viajar com o seu filho e teria que ir no porta-malas, separando a zona com barreiras ou grades separadoras.

Agora, desfrutem da viagem todos juntos e da forma mais segura. Lembre-se que se tiver alguma dúvida, pode aceder à nossa secção "O especialista responde", onde teremos todo o prazer em o ajudar. 

Objetivo Cero

Back to top