Skip to Content

Cadeiras infantis do grupo 2 e 3 e cadeiras evolutivas: quando mudar

Cadeiras infantis do grupo 2 e 3 e cadeiras evolutivas: quando mudar

23/02/2016

Caso o seu filho ou filha comece a crescer e a sua primeira cadeira infantil se torne pequena, é possível que já esteja a necessitar uma cadeira do Grupo 2 para crianças entre 15 e 25 quilogramas. Embora também se deva ter como referência tanto o peso como a altura no momento de se avaliar a mudança da cadeira, estas cadeiras são válidas para idades a partir dos 3 anos, para os casos de percentil mais alto, até aos 7 anos aproximadamente.

No entanto, já deve ter reparado ao procurar cadeiras de crianças do Grupo 2, que praticamente não existe nenhuma desse grupo de forma individual em nenhuma marca reconhecida. Por sua vez, encontrará cadeiras do “Grupo 2 e 3”, também chamado “Grupo 2/3”.

Como são os Grupos 2 e 3

  • Grupo 2: Indicado para crianças de 15 a 25 quilos. São cadeiras que utilizam o cinto de segurança do automóvel para prender a criança e contam com uma parte de almofada mais encosto que se encaixa num lugar de assento do passageiro do automóvel. Desta forma, a criança fica elevada para que o cinto de segurança do automóvel se ajuste corretamente.
  • Grupo 3: Indicado para crianças de 22 a 36 quilos. São assentos elevatórios, por vezes com encosto incluído, embora não necessariamente, que elevam a criança para que o cinto de segurança do automóvel se ajuste corretamente. Em Espanha é obrigatório o uso de um sistema de retenção infantil até que a criança cresça acima dos 135 cm e é recomendável até que chegue aos 150 cm. Noutros países é obrigatório até aos 150 cm.

Cadeiras evolutivas

A razão pela qual a maioria das vezes se une o Grupo 2 com o Grupo 3 é porque as cadeiras infantis de ambos os grupos podem ter formas e tamanhos parecidos. Como tal, com um sistema de adaptação evolutiva, com diferentes posições que se vão adaptando ao tamanho da criança, é possível satisfazer os dois grupos simultaneamente.

Uma cadeira de “Grupo 2 e 3” será útil para crianças a partir de 15 kg e terá um ajuste variável para que sirva até aos 36 kg ou quando a criança ultrapasse supere os 135 cm, que é a altura mínima para deixar de utilizar um sistema de retenção infantil. Em particular, elas costumam ter o apoio de cabeça regulável em altura para que proteja corretamente a cabeça à medida que a criança cresce. Dentro das cadeiras homologadas como Grupo 2 e 3, as mesmas existem de diferentes desenhos e formas, fixas ou reclináveis, com mais ou menos proteção lateral e de preços muito variados.

Cadeiras Grupo 1, 2 e 3

Os últimos avanços em conceção têm feito com que existam várias marcas a oferecer cadeirinhas evolutivas que abrangem os grupos 1, 2 e 3. Estas cadeiras contam com arnês para se usar como Grupo 1. Depois desmonta-se o arnês e parte do assento e do encosto para deixar uma cadeira do Grupo 2, com o apoio de cabeça de altura variável para servir como cadeira do Grupo 3. Isto quer dizer que uma mesma cadeira poderia servir a uma criança a partir dos 9 kg até ultrapassar os 36 kg, ou traduzido em idade, desde 1 ano até aos 12 anos, aproximadamente.

Cuidado com o passar demasiado rápido para o Grupo 2 e 3

É recomendável não forçar a mudança para uma cadeira do Grupo 2 e 3 caso a criança tenha acabado de atingir os 15 kg e ainda se sinta confortável na sua cadeira do Grupo 1, sobretudo caso esta última esteja colocada virada para trás. Se o arnês da cadeira do Grupo 1 ainda lhe servir bem, seguindo as instruções de colocação da cadeirinha, prenderá melhor a criança em caso de acidente. Caso se encontre virada para trás, também fixará melhor a cabeça em caso de acidente frontal que uma cadeira do Grupo 2 e 3.

Há crianças com percentis muito altos que atingem os 15 kg em idade muito precoce. Caso a cadeira do Grupo 1 tenha ficado pequena por causa do tamanho, mas a criança ainda seja muito pequena em termos de idade, com 3 anos recém-completados, por exemplo, talvez seja melhor procurar uma cadeira do Grupo 1 um pouco maior em vez de passar já para o Grupo 2 e 3. Isto deve-se ao facto de uma criança muito pequena ser muito inquieta e se mover muito, caso tenha liberdade para isso. Com uma cadeira do Grupo 2 e 3 terá muita liberdade para se mover e inclusivamente para passar o torso por baixo do cinto do automóvel, o que deixaria a criança sem segurança em caso de acidente. Por esse motivo, é importante passar para o Grupo 2 e 3 no momento certo, quando a criança tenha ganho consciência e tenha aprendido a manter-se mais tranquila no automóvel.


727x103-boton-ayudanosaconseguirlo.png

Back to top