Skip to Content

Uma cadeira para criança de 70 euros pode ser segura?

Uma cadeira para criança de 70 euros pode ser segura?

27/01/2015

Para poder utilizar uma cadeira para crianças em Portugal ou outro país da Europa é necessário que seja devidamente homologada. Para obter a homologação, os fabricantes recorrem a uma laboratório de ensaios acreditado que certifica que o sistema de retenção para crianças cumpre todos os requisitos necessários. Esta avaliação de segurança dos sistemas de retenção inclui testes de choque frontal a 50 km/h e de embate traseiro a 30 km/h, ensaios à fivela do arnês, análise do design da cadeira, análise do cinto ou do arnês da cadeira e outros testes relacionados com a resistência ao fogo e à corrosão, toxicidade dos componentes, entre outros. Apenas as cadeiras homologadas pela norma mais recente, o regulamento UNECE R129, e que ainda são muito poucas, têm que cumprir requisitos relativamente aos embates laterais. As cadeiras homologadas pela norma mais antiga, o regulamento UNECE R44/04, e que são a grande maioria, não incluem nenhum teste para choques laterais. Este facto favorece a presença no mercado de sistemas de retenção para crianças que oferecem pouca proteção relativamente a este tipo de embates.

Pela segurança dos mais pequenos, que é o mais importante, a FUNDAÇÃO MAPFRE recomenda que não sejam utilizados sistemas de retenção para crianças sem proteção relativamente a embates laterais. Para conhecer os modelos que possuem este tipo de proteção, aconselhamos a consulta dos estudos comparativos independentes - como os que são realizados pelos clubes de automóvel da Europa, entre os quais se encontram o RACE e o RACC, que têm em consideração este requisito essencial para a segurança das crianças.

O último Relatório sobre Segurança dos Sistemas de Retenção para Crianças (SRI, Informe sobre Seguridad de los Sistemas de Retención Infantil), analisa a segurança de cadeiras para criança cujo custo não ultrapassa os 70 euros. Os resultados são verdadeiramente alarmantes: das 11 cadeiras de todos os grupos, submetidas aos testes, apenas 1 obteve a classificação “boa”, 4 obtiveram “aceitável” e as outras 6 receberam a classificação “muito má”. Destas, 2 não superaram os testes de embate frontal e 4 foram eliminadas nos testes de embate lateral.

Para além disso, foi possível constatar que a aparente variedade de cadeiras para crianças no mercado não é tão elevada como esperado, já que, muitas delas são praticamente iguais apenas possuindo diferentes designações comerciais.

Como se não fosse suficiente, verifica-se que a maioria das cadeiras baratas são compradas em lojas on-line com a consequente perda de informações e instruções sobre a sua utilização e correta instalação no veículo.

As primeiras conclusões são evidentes: perante sistemas de retenção para crianças baratos, tome as devidas precauções e informe-se se muito bem antes de adquirir um. Neste site temos à sua disposição uma ferramenta de comparação de cadeiras para crianças, considerando avaliações e comparações realizadas nos últimos anos, para todos os tipos de cadeiras para crianças.

Sempre que seja possível adquira ou utilize um sistema de retenção para crianças que tenha obtido a classificação de “muito bom” ou no mínimo, de “aceitável”. Apenas as cadeiras que oferecem uma boa proteção relativamente aos embates frontais e laterais, e que também são fáceis de usar, obtém uma classificação destas nos estudos comparativos independentes.

A legislação exige que todas as crianças com menos de 12 anos de idade sejam transportadas nos automóveis com um sistema de retenção homologado e adequado ao seu tamanho e peso. Embora o preço seja, muitas vezes, um fator determinante no momento da escolha do modelo, é nossa responsabilidade garantir que a cadeira protege a criança da melhor forma possível.

A segurança da criança NÃO TEM PREÇO.

Back to top