Skip to Content

Os autocarros estão projetados para levar as crianças?

Os autocarros estão projetados para levar as crianças?

16/10/2017

Os autocarros estão preparados para levar as crianças de forma segura? Quais elementos foram projetados para as crianças e quais devem ser melhorados? Listamos a seguir todos aqueles pontos que podem afetar a criança na hora de serem transportadas tanto em um autocarro urbano como em autocarro.

  • O cinto de segurança: atualmente a regra não indica como devem viajar as crianças menores de 3 anos. O ideal seria que fosse possível instalar sua própria cadeira para carro nos assentos. No entanto, em muitos casos não é possível, especialmente se o autocarro não dispõe de cinto ou o mesmo é de dois pontos. O resto dos passageiros devem ir com o cinto devidamente ajustado no caso do autocarro tiver. Vale lembrar que em algumas ocasiões podemos nos deparar com autocarros que não possuem este importante sistema de segurança, já que só é obrigatório para autocarros de longo percurso matriculados a partir de 2007.
  • O tipo de cinto: se o autocarro em que viajamos tiver o cinto, pode ser que seja de dois ou de três pontos. O primeiro deles não afeta as crianças, isto é, vale tanto para adulto como para as crianças, já que o mesmo passa por baixo da cintura, sobre a pélvis. No entanto, não é especialmente seguro quando falamos de crianças menores de 6 anos e protege muito menos que um de três pontos.
  • Pelo contrário, o cinto de três pontos pode não ficar ajustado devidamente, para isso precisaremos de um assento elevatório. Os cintos de três pontos estão projetados para adultos. Por esse motivo as crianças precisam de um assento elevatório, e se possível com encosto, para que o cinto não lhes provoque lesões e fique bem ajustado. A faixa diagonal pode pressionar o pescoço.
  • Neste sentido, recordamos o artigo ‘Se for viajar em um autocarro, isto é o que você poderá fazer para que seu filho viaje mais seguro’. Aqui serão abordadas as diferentes formas nas quais uma criança poderá viajar no autocarro e como é a primeira cadeira infantil homologada para autocarros.
  • O encosto de cabeça: por mais que tentamos adapta-los, nunca conseguiremos que fique bem ajustado quando falamos de crianças. De fato, muitos nem sequer conseguirão alcança-lo. Daí a importância de ter em mãos um assento elevatório com encosto de cabeça, para que a criança fique sentada numa cadeira de seu tamanho.
  • Bandeja dianteira: muitos autocarros, especialmente aqueles de longo percurso, contam com uma bandeja ou mesinha colocada atrás do assento da frente para que o passageiro possa baixa-la e utiliza-la para comer ou escrever. Esta bandeja pode ser perigosa quando falamos de crianças, já que em caso de acidente elas podem se chocar diretamente contra ela.
  • Espaço no meio do autocarro para deixar o carrinho: costuma-se ter especialmente no caso dos autocarros urbanos. Também costuma contar com cintos especiais para prende-lo.
  • Há determinados autocarros urbanos que contam com um SRI próprio. Como exemplo temos encontrado a EMT de Madrid. Desde 2008 todos os autocarros da frota da EMT incorporam cadeiras porta-bebés completamente homologadas com sistemas de retenção infantil.
  • O acesso ao autocarro em certas ocasiões é complicada para as crianças, devido as escadas serem muito altas e, em muitos casos, sem a opção de rampa para subir o carrinho, algo que está sendo resolvido nos transportes públicos. Na maior parte dos casos, os autocarros contam com barras nas portas para facilitar o acesso e a saída.
  • Os assentos em frente as escadas ou que não estejam protegidos pelo encosto do assento da frente, devem ter um elemento fixo de proteção. Neste caso, aconselha-se que as crianças de 5 a 11 anos viajem com cinto de 3 pontos e assentos elevatórios para uma maior segurança.

Consulte nosso infográfico sobre um transporte escolar seguro.

Por último, recomendamos o artigo ‘Primeira viagem com crianças em um autocarro particular? Descubra os serviços que as companhias tem a sua disposição’.


Back to top