Skip to Content

As crianças viajam adequadamente em carros? Analisamos o uso dos SRI em Espanha

As crianças viajam adequadamente em carros? Analisamos o uso dos SRI em Espanha

17/10/2016

28% das crianças entrevistadas em um estudo recente afirmam que nunca usam sua cadeira especial. Em comparação, 7 em cada 10 crianças pesquisadas entre 5 e 12 anos dizem que estão sempre sentadas em sua cadeira para crianças. Se perguntarmos aos pais, o resultado varia muito. Analisamos dois importantes estudos realizados até a presente data para tentar conhecer qual é a realidade na Espanha sobre a utilização de sistemas de retenção para crianças.

Enquanto no estudo 'Hábitos de segurança viária de pais e filhos no carro', realizado por Midas, Ipsos e pela Associação Nacional para a Segurança Infantil, 28% das crianças de 5 a 12 anos garantem não ir com o SRI correspondente, 8% dos pais reconhecem que, pelo menos esporadicamente, não utilizam nem a cadeira infantil nem o assento elevador-, nem o cinto de segurança para adultos. Este último fato é refletido no relatório ‘Assentos elevadores no automóvel: até quando usá-los?’, realizado pela Fundación MAPFRE.

Há de ter em conta que mais da metade das crianças que disseram não usar SRI (mais de metade dos 28%) têm mais de nove anos e, por conseguinte, já poderiam medir mais de 135 cm de altura, assim que o uso de SRI não é mais obrigatório.

Isso significa que nós só levamos o assento por imposição? (Aqui o que diz a normativa) Não é mais necessário continuar a utilizar sistemas de retenção para crianças a partir dos 135 cm? O estudo realizado pela Fundación MAPFRE mostra que uma elevada porcentagem de crianças passa a utilizar o cinto de segurança para adultos muito cedo. Assim, 28% dos que têm entre 6 e 8 anos de idade utilizam este cinto, e 38% daqueles que têm entre 9 e 10 anos de fato também o utilizam.

Devemos ter em conta que, no caso de crianças mais velhas (6-12 anos), os assentos elevadores são 45% mais seguros do que os cintos de segurança para adultos.

E faz mal não só ao removermos a SRI tão rapidamente como também ao trocar de uma cadeira para outra. O mesmo estudo revela que 6% das crianças trocam sua cadeira para bebés (grupo 0+) por um assento elevador (grupo II) sem passar pela etapa intermediária, que representa as cadeiras infantis do grupo I. "Este salto sem passo intermediário é um risco evitável muito importante", relembra o relatório.

Aqui tu podes encontrar dicas para escolher o melhor SRI.

VÃO SEMPRE ATRÁS?

O estudo do Midas, Ipsos e da Associação Nacional de Segurança Infantil indica que 86% das crianças reconhecem que viajam no banco de trás, seja na cadeira regulatória para os menores ou a usar cintos de segurança obrigatórios.

Este dado também se vê refletido no relatório da Fundación MAPFRE, onde se mostra que a grande maioria das crianças utiliza o banco de trás. No caso de crianças entre 4 e 10 anos que utilizam assentos virados para a frente, o percentual é de 95,5%.

Neste sentido, recomenda-se o artigo ‘Por que é melhor que a criança vá atrás e no centro?’.


Importancia SRI


Ayúdanos a conseguirlo

Back to top